Mike Segar/Reuters
Mike Segar/Reuters

Trump reconhece que Sessions poderia ter sido 'mais preciso'

No Twitter, o presidente americano culpou o Partido Democrata de estar por trás do vazamento de informações

O Estado de S.Paulo

03 de março de 2017 | 02h32

WASHINGTON - O presidente Donald Trump voltou a defender publicamente o secretário de Justiça americano, Jeff Sessions. Porém, em uma série de mensagens publicadas no Twitter, o republicano reconheceu que o ex-senador poderia ter sido "mais preciso" em suas respostas sobre a Rússia durante a sabatina dele no Senado, em fevereiro.

"Jeff Sessions é um homem honesto. Não fez nada de mal. Poderia ter respondido de forma mais precisa, mas claramente não foi intencional", escreveu o presidente em sua conta pessoal no Twitter, republicada no Instagram. Mais cedo, Trump havia dito ter "total confiança" em seu secretário.

Sessions, então senador e assessor da campanha presidencial de Trump, se reuniu duas vezes com o embaixador da Rússia em Washington, Sergei Kislyak, em plena corrida pela Casa Branca, no ano passado. O caso foi revelado pelo jornal Washington Post.

Ao ser perguntado por eventuais contatos com o Kremlin, durante a sabatina do Senado, Sessions ocultou estes encontros ao considerar que foram durante sua atividade como senador e não como assessor da campanha de Trump.

No entanto, o secretário de Justiça optou nesta quinta a deixar a investigação sobre o caso que seu departamento, o de Justiça, lidera junto ao FBI, agência que também está sob sua supervisão.

Para Trump, toda a polêmica em torno de Sessions responde a uma narrativa do Partido Democrata. "Os democratas estão se excedendo. Perderam as eleições e agora perderam seu contato com a realidade", escreveu o presidente no Instagram, que falou em "caça às bruxas" contra seu governo. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.