Athit Perawongmetha/Pool Photo via AP
Athit Perawongmetha/Pool Photo via AP

Trump recua e diz crer em apuração sobre Rússia

Líder rejeitou dúvidas sobre sua confiança nas agências de inteligência, mas questionou gestão anterior

O Estado de S.Paulo

12 Novembro 2017 | 21h34

HANÓI - Pressionado após afirmar que acreditava na negativa do presidente russo, Vladimir Putin, sobre a interferência de Moscou na última eleição americana, Donald Trump recuou neste domingo, 12. O presidente americano disse na capital do Vietnã, antes de embarcar para as Filipinas, que acredita nas agências de inteligência dos EUA, que concluíram em relatório que a Rússia influenciou as eleições.

+ Nas Filipinas, Trump se oferece para mediar disputa pelo Mar da China Meridional

Ele rejeitou haver qualquer dúvida sobre sua confiança nas agências de inteligência, mas lançou questionamentos sobre a administração anterior. “Estou com as nossas agências, especialmente na sua constituição atual”, disse Trump. Sobre Putin, disse acreditar “que sente que ele e a Rússia não interferiram nas eleições”.

Os principais funcionários de inteligência dos EUA, incluindo os da CIA, concluíram que a Rússia interferiu na eleição para ajudar o republicano Trump a derrotar a democrata Hillary Clinton. Um conselho especial e várias comissões do Congresso americano também investigam possível conluio entre Moscou e os assessores da campanha de Trump.

Sobre a Coreia do Norte, Trump disse que existia uma “possibilidade” de que ele pudesse ter um relacionamento amistoso com o líder norte-coreano Kim Jong-un. Os dois se envolveram em uma guerra de palavras, com insultos à aparência e à capacidade mental do outro. Tachado de velho por Kim, Trump respondeu que nunca chamaria o norte-coreano de gordo e baixo. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.