AP/Carolyn Kaster
AP/Carolyn Kaster

Trump reembolsou advogado pelos US$ 130 mil pagos a atriz pornô, diz ex-prefeito de NY

Em entrevista à emissora Fox News, Rudy Giuliani afirmou que o pagamento não violou as regras que orientam o financiamento de campanha; presidente americano disse no Twitter que pacto 'foi usado para evitar as acusações falsas e extorsionistas sobre um caso'

O Estado de S.Paulo

03 Maio 2018 | 04h21
Atualizado 03 Maio 2018 | 09h36

WASHINGTON - O presidente dos EUA, Donald Trump, reembolsou os US$ 130 mil que seu advogado Michael Cohen pagou à atriz pornô Stephanie Clifford - conhecida na indústria como Stormy Daniels - por seu silêncio sobre um suposto relacionamento com o magnata, admitiu na quarta-feira, 2, o advogado e ex-prefeito de Nova York Rudy Giuliani.

+ Advogado de atriz pornô solicita depoimento de Trump sobre suposto relacionamento

Nesta quinta-feira, 3, Trump disse em sua conta no Twitter que o reembolso ao seu advogado foi feito mensalmente por meio de um assistente e "não tinha nada a ver com a campanha". Ele explicou que Cohen recebia o indivíduo "a partir da qual participou, por meio de reembolso, de um contrato privado entre duas partes, conhecido como um acordo de confidencialidade". Trump afirmou ainda que o pacto "foi usado para evitar as acusações falsas e extorsionistas sobre um caso".

+ Donald Trump conhecia acordo para calar atriz, diz advogado

Giuliani, que recentemente se uniu à equipe de advogados de Trump, afirmou à emissora Fox News que "este dinheiro pago pelo advogado (...), o presidente reembolsou ao longo de vários meses". O ex-prefeito de Nova York destacou que o pagamento não violou as regras que orientam o financiamento de campanha porque "não envolveu dinheiro de campanha". "Foi perfeitamente legal."

+ Justiça adia por três meses processo de atriz pornô contra Trump

+ Artigo: Está ficando claro que Trump não disputará a reeleição

Ao jornal The Wall Street Journal, Giuliani declarou que Trump "provavelmente não estava a par" do pagamento quando ele foi realizado por Cohen, em razão da preocupação do advogado de "resolver o caso de maneira discreta". "Até onde eu sei, ele não sabia dos detalhes (da operação), mas sabia sobre o acordo de que Michael cuidaria de coisas como essas." Até o momento, nem a Casa Branca e nem Trump comentaram as declarações.

O magnata negava ter conhecimento do pagamento a Stephanie, mas na semana passada admitiu que Cohen chegou a um acordo de confidencialidade com a atriz em seu nome.

O advogado entregou à atriz US$ 130 mil pouco antes da eleição presidencial de 2016, em troca de seu silêncio a respeito de uma relação que ela teria mantido há alguns anos com o atual presidente. Hoje, Stephanie tenta fazer com que a Justiça anule o acordo de confidencialidade firmado com Cohen.

Ela afirma ter tido uma relação com Trump em 2006 e 2007, quando ele já estava casado com Melania. No fim de março, a atriz revelou detalhes de seu suposto relacionamento com o republicano em uma entrevista à emissora CNN, na qual disse que, em 2011, quando tentava vender sua história à revista Touch, foi ameaçada por um desconhecido em um estacionamento em Las Vegas. / AFP, REUTERS e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.