Brendan Smialowski / AFP
Brendan Smialowski / AFP

Trump se diz 'surpreso' por escolha de Kamala Harris como vice de Biden

Presidente dos EUA afirma, em entrevista coletiva, que senadora teve um papel 'pobre' nas primárias democratas

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2020 | 19h59
Atualizado 11 de agosto de 2020 | 20h25

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta terça-feira, 11, estar "surpreso" com a decisão do candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden, de escolher Kamala Harris como companheira de chapa, criticando o papel "pobre" da senadora durante as primárias democráticas.

"Fiquei surpreso mais do que tudo porque ela teve um desempenho muito ruim" durante a disputa pela indicação democrata, que Biden acabou vencendo, disse Trump em sua entrevista coletiva diária na Casa Branca. "Ela se saiu muito mal nas primárias. E isso é como uma pesquisa".

Trump disse que Harris foi “muito, muito desagradável” com Biden durante as primárias. “Um dos motivos pelos quais isso me surpreendeu foi que ela provavelmente foi mais desagradável do que Pocahontas com Joe Biden. Ela foi muito desrespeitosa com Joe Biden e é difícil escolher alguém que seja desrespeitoso”, disse Trump aos repórteres, usando o apelido que costuma usar para se referir à senadora democrata Elizabeth Warren.

Antes da entrevista coletiva e pouco após o anúncio de Biden, Trump divulgou em sua conta no Twitter um vídeo que acusa a senadora democrata pela Califórnia de ser integrante da "esquerda radical". O vídeo ainda qualifica Biden como "lento" e ela como "falsa" e diz que a dupla levaria o país a uma radicalização.

No breve vídeo, o narrador diz que Kamala Harris foi pré-candidata à presidência caminhando para a "esquerda radical" e apoiaria o plano do senador Bernie Sanders por "medicina socializada", além de defender "trilhões em novos impostos" e atacar as "políticas racistas de Joe Biden". Segundo o narrador, os eleitores rejeitaram a senadora, considerando-a "falsa", mas Biden "não é tão esperto".

O vídeo diz que Biden seria um "candidato de transição" e entregaria o controle das coisas para Kamala Harris, com a dupla caminhando para a "esquerda radical". "Joe lento e a falsa Kamala, perfeitos juntos. Errado para a América", conclui o narrador./AFP e Reuters 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.