Saul Loeb / AP
Saul Loeb / AP

Trump usará seu Twitter na China, apesar de bloqueio do aplicativo no país

Não devem se preocupar com as comunicações do presidente Trump com o resto do mundo, diz membro do governo chinês

O Estado de S.Paulo

03 Novembro 2017 | 09h55

 PEQUIM  - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, poderá usar sua conta do Twitter durante sua próxima visita oficial à China, um país onde a rede social está bloqueada pela censura, segundo deu a entender um funcionário de alto escalão do Governo chinês.

+Twitter suspende conta de Trump acidentalmente por 11 minutos

"Não devem se preocupar com as comunicações do presidente Trump com o resto do mundo", afirmou nesta quinta-feira o vice-ministro de Exteriores, Zheng Zeguang, em declarações a um grupo de jornalistas.

"Estão sendo realizados preparativos para que Trump e sua esposa, Melania, sintam uma cálida hospitalidade em Pequim", acrescentou Zeguang.

Trump chegará a Pequim na tarde na próxima quarta-feira para sua primeira visita oficial ao país asiático, que terminará na manhã da sexta-feira, dia 10 de novembro.

Mas o Twitter é bloqueado na China, assim como Facebook, Instagram, YouTube, Google e outras redes sociais ou páginas de internet vítimas da chamada "grande muralha virtual", que censura conteúdos do exterior.

Essa proibição só pode ser contornada com serviços VPN, que se conectam com um servidor externo antes de chegar às páginas proibidas, mas as empresas que os oferecem também estão sob um ataque crescente das autoridades chinesas, inclusive com uma ameaça de proibição formal.

Mas as autoridades chinesas querem oferecer a Trump a mesma recepção cálida e amável que a Casa Branca ofereceu ao presidente Xi Jinping e a sua esposa, Peng Liyuan, durante a estadia de ambos em Mar-a-lago (Flórida) em abril passado, por ocasião da primeira reunião bilateral entre ambos os presidentes. EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.