Brendan Smialowski / AFP
Brendan Smialowski / AFP

Trump vai fazer evento de despedida no dia da posse de Joe Biden

Presidente será o quarto na história americana a não participar da cerimônia de transição de cargo; última vez foi há 152 anos

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2021 | 11h15

WASHINGTON - Contrariando uma tradição centenária da política americana, o presidente Donald Trump vai deixar de ir à cerimônia de posse de seu sucessor, Joe Biden, e organizará um evento alternativo para sua despedida no mesmo dia. A ausência de um presidente que deixa o cargo na posse do que assume não ocorre nos EUA há 152 anos. 

De acordo com a Bloomberg, Trump anunciou planos para uma despedida na Base Conjunta Andrews, em Maryland, às 8h da quarta-feira, dia 20. A cerimônia ocorrerá quatro horas antes de Biden fazer seu juramento em Washington. Apoiadores e ex-funcionários do governo já receberam o convite para o evento. 

A decisão de Trump de não participar da posse de Joe Biden foi anunciada em 8 de janeiro, dois dias depois da invasão no Capitólio.  "Para todos que perguntaram, eu não irei à cerimônia de posse em 20 de janeiro", escreveu em seu Twitter na ocasião. 


Ao longo da história dos EUA, três presidentes recusaram-se a acompanhar o novo mandatário, todos no século XIX: John Adams, em 1801, John Quincy Adams, em 1829, e Andrew Johnson, em 1869. De acordo com o jornal The Washington Post, a última vez que isso ocorreu foi há 152 anos. 

As cerimônias de posse são realizadas no Capitólio, sede do Congresso dos EUA, e o único ato exigido pela carta magna é o juramento de posse, realizado ao meio-dia do horário local. Após o juramento, é comum que os presidentes recém-empossados façam o discurso inaugural. Ao longo da história, foram 54 discursos proferidos por 37 presidentes nos EUA. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.