Frederick M. Brown/AFP PHOTO
Frederick M. Brown/AFP PHOTO

Pelo Twitter, Trump volta a insultar jornalistas que o criticaram em programa de TV

Presidente americano disse que Mika Brzezinski é 'burra como uma pedra' e veículos de comunicação do país disseminam 'ódio' contra ele

O Estado de S.Paulo

01 Julho 2017 | 19h43
Atualizado 01 Julho 2017 | 20h13

WASHINGTON - O presidente americano, Donald Trump, voltou a atacar verbalmente os jornalistas Joe Scarborough e Mika Brzezinski, apresentadores do canal de televisão MSNBC, neste sábado, 1º de julho. Depois de dizer em seu perfil no Twitter que Mika era "louca" e tinha "baixo QI", o magnata escreveu que ela é "burra como uma pedra".

Trump também afirmou que os meios de comunicação americanos são o veículo do "ódio" contra ele. Sua disputa por meio das redes sociais com os apresentadores da MSNBC, que chocou inclusive vários republicanos ao longo da semana, foi seguida neste sábado por uma série de tuítes matinais com novos insultos.

"O louco Joe Scarborough e Mika (Brzezinski), burra como uma pedra, não são pessoas ruins, mas seu programa de baixa audiência é controlado pelos seus chefes da NBC", escreveu o presidente na sua conta do Twitter, citando a rede de televisão cuja cobertura critica regularmente por considerá-la parcial. Os dois apresentadores conduzem todas as manhãs o programa Morning Joe.

Trump havia tido discussões com os dois jornalistas, companheiros no programa e na vida real, na quinta e na sexta-feira, também pelo Twitter. O presidente republicano acusou "a louca da Mika, de baixo coeficiente intelectual" e ao "psicopata Joe" de darem uma imagem enviesada do seu governo no programa televisivo.

No entanto, este sábado os ataques de Trump não tiveram como alvo apenas estes dois jornalistas, mas os meios em geral. Ele sugeriu em outro tuíte que a jornalista Greta Van Susteren, que deixou a MSNBC esta semana, foi demitida "por seus chefes descontrolados na @NBC e @Comcast porque ela se recusou a compartilhar o 'ódio a Trump'!"

Minutos antes, o presidente se pronunciou na rede social contra o canal CNN, dias depois que três jornalistas da emissora pediram demissão após se retratarem por conta de uma história que apontava vínculos financeiros de membros da campanha do presidente com a Rússia. "Eu estou extremamente satisfeito por ver que a CNN foi finalmente exposta como um jornalismo de notícias falsas e lixo", escreveu.

Mais tarde, Trump voltou a atacar a mídia em geral ao dizer que "a mídia falsa e fraudulenta está trabalhando duro para convencer republicanos e outras pessoas de que eu não deveria usar mídias sociais - mas lembre: eu venci as eleições de 2016 com entrevistas, discursos e mídias sociais.  Eu tive que derrotar notícias falsas e fiz. Eu continuarei a vencer", escreveu no Twitter. /AFP

 

Mais conteúdo sobre:
Donald TrumpCNN

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.