Tufão causa mais de 400 mortes nas Filipinas

Inundações e deslizamentos de terra causados pela passagem de um tufão deixaram mais de 400 mortos e pelo menos 270 desaparecidos entre a noite da sexta-feira e a madrugada de ontem nas Filipinas.

MANILA, O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2011 | 03h01

A maioria das vítimas foi arrastada enquanto dormia, por enxurradas que varreram duas cidades da região de Mindanao, após 12 horas de intensas chuvas.

Centenas de pessoas buscaram abrigo no topo de telhados, enquanto a água lamacenta e repleta de destroços arrastava carros e arrancava árvores. "Em menos de uma hora, o nível da água subiu mais de 3 metros", contou à Associated Press o ex-parlamentar Ayi Hernández.

Segundo a Cruz Vermelha filipina, pelo menos 436 pessoas morreram - 215 na cidade de Cagayan de Oro e 144 em Iligan. As outras mortes ocorreram em vários povoamentos do sul das Filipinas e também da região central do país. Até a noite de ontem, muitos dos corpos não haviam sido reclamados pelos parentes, indicando que famílias inteiras morreram.

A região mais atingida pelo tufão Washi - que registrou ventos de até 90 km/h - não costuma sofrer inundações. O governo filipino afirmou que cerca de 100 mil pessoas tiveram de ser retiradas de suas casas e levadas para abrigos.

Segundo o Exército, as buscas por vítimas continuarão nas regiões costeiras das províncias de Misamis Oriental e Lanao do Norte. / AP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.