Tufão faz China retirar 900 turistas de ilha

Observatório prevê que tufão fique mais forte quando chegar à costa chinesa

Efe,

06 de agosto de 2009 | 03h10

Cerca de 900 turistas foram retirados nesta quinta-feira, 6, da ilha de Nanji, na província chinesa de Zhejiang, após a interrupção do serviço de barcos pela chegada do tufão Morakot à região.

 

O exército ajudou a fazer a retirada das pessoas antes de aplicar as medidas de alerta que obrigam que as embarcações atraquem nos portos para se proteger dos efeitos do tufão.

 

"Não esperávamos que o tufão fosse tão forte, por isso tínhamos previsto ficar na ilha mais uns dois dias", disse um dos turistas chineses à agência oficial de notícias Xinhua.

 

O olho do tufão estava, na manhã desta quinta, a 710 quilômetros do sudeste da cidade de Keelung, em Taiwan, com ventos de 144 quilômetros por hora, segundo o observatório nacional chinês. O Morakot avança em direção noroeste rumo à costa nordeste de Taiwan.

 

O observatório de Zhejiang espera que o Morakot se transforme em um grande tufão quando chegar à costa chinesa, na sexta-feira ou no sábado.

Tudo o que sabemos sobre:
tufãoChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.