Tufão Kaemi desaloja 700 mil pessoas na China

Mais de 700 mil habitantes do litoral sudeste chinês foram removidos e cerca de 44 mil navios foram chamados de volta ao porto diante da ameaça do tufão Kaemi, que chegou à região, informou nesta quarta-feira a imprensa estatal. O número supera o de cidadãos evacuados em Fujian no início do mês, antes da chegada do tufão Bilis, que deixou mais de 600 mortos, 200 desaparecidos e afetou 26 milhões de pessoas. Por enquanto, o Kaemi deixou apenas quatro feridos e provocou danos materiais na ilha de Taiwan. A televisão estatal chinesa (CCTV) transmitiu imagens de chuvas torrenciais na província de Fujian, e de funcionários fazendo preparativos para minimizar os possíveis danos das tempestades. Em Fujian foram evacuadas mais de 643 mil pessoas. Na província de Zhejiang, que não foi tão afetada pelo Bilis, os deslocados chegaram a 80 mil, informou a agência oficial de notícias Xinhua. O Kaemi, que significa "formiga" em coreano, é o quinto tufão que chega às costas do sul da China neste verão. Ele se desloca em direção ao noroeste, a uma velocidade de 20 km/h, trazendofortes chuvas e ventos de 117 km/h. À espera do Kaemi, as autoridades de Fujian providenciaram 12 mil barracas, 50 mil cobertores, 80 mil roupas e comida suficientepara 300 mil pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.