Tufão Krosa chega à China, após deixar 5 mortos em Taiwan

Cerca de 800 mil habitantes foram evacuados e 33 mil navios tiveram que voltar a seus portos de origem

Efe,

07 de outubro de 2007 | 08h03

O tufão Krosa chegou neste domingo à costa sudeste da China, onde mais de um milhão de pessoas foram evacuadas nas províncias de Zhejiang e Fujian, informou a agência estatal Xinhua. O 16.º tufão do ano chegou às 15h30 (4h30 de Brasília) à divisa entre as duas provínciasde Zhejiang e Fujian, uma região de grande densidade populacional, segundo informou a agência de notícias "Xinhua", com ventos de até 126 km/h e após deixar cinco mortos em sua passagem por Taiwan. Agora, o Krosa se desloca em direção norte ao longo da costa, segundo o Escritório de Prevenção das Inundações e Alívio da Seca de Zhejiang. As escolas, aeroportos, estradas e o tráfego marítimo foram fechados em vários pontos das duas províncias.  Paralização  Os rios alcançaram níveis de risco, e os centros de controle marítimo prevêem ondas de até doze metros nas próximas 24 horas. Uma embarcação de Hong Kong, com 27 tripulantes a bordo, está presa em meio às fortes ondas causadas pelo tufão, sem que os serviços de salvamento tenham conseguido chegar até ele. Na vizinha Fujian, as autoridades evacuaram mais de 200 mil pessoas, e fizeram retornar aos portos quase 37 mil embarcações. Escolas, aeroportos, estradas e serviços de transporte marítimo foram fechados em vários pontos de ambas as províncias. A chegada do Krosa coincidiu com o último dia da semana de feriados em comemoração ao Dia Nacional (1º de outubro), e dezenas de milhares de turistas que visitavam as ilhas do litoral de Zheijiang tiveram que evacuados às pressas durante o fim de semana. A Polícia distribuiu avisos com medidas de prevenção nos pontos turísticos, e cancelou todas as viagens pendentes. Na mesma província, a cidade de Wenzhou está em alerta vermelho, e todos os vôos foram cancelados. Fórmula 1 Ao norte de Zhejiang, a metrópole de Xangai, que sediou neste domingo,7, o Grande Prêmio da China de Fórmula 1, já preparou um plano de emergência, para o caso de ser atingida pelo tufão. S Segundo a Administração Meteorológica da China, o Krosa se desloca em direção norte ao longo da costa, antes de um possível retorno ao mar. Os serviços de meteorologia advertiram que o tufão pode causar chuvas torrenciais e fortes ventos no litoral leste, que poderiam derivar em inundações, deslizamentos de terra e avalanches. As evacuações maciças vêm sendo adotadas pelas autoridades chinesas como um dos principais procedimentos para reduzir ao máximo os danos pessoais ocasionados pelos tufões. No final de setembro, 2,67 milhões de pessoas foram evacuadas perante a chegada do tufão Wipha, que deixou nove mortos em sua passagem pelo país. Em Taiwan O Krosa chegou à China procedente de Taiwan, onde deixou cinco mortos, segundo o Serviço Nacional de Bombeiros, e sete, segundo a imprensa, assim como dezenas de feridos, além de ter paralisado o trânsito e as atividades comerciais. Mais de dois milhões de famílias taiuanesas ficaram sem luz, ao tempo que o tráfego aéreo e ferroviário ficou seriamente afetado. Os vôos internacionais ao país ainda não voltaram a funcionar com normalidade. Neste ano, o pior tufão na China foi o Sepat, que deixou 41 mortos em quatro províncias do sul, longe dos 441 provocados pelo Saomai em 2006, o pior tufão a atingir o país em meio século. A temporada de tufões na China costuma concentrar-se entre junho e setembro, e em outubro costumam ser poucos os que tocam seu território. Entre estes tufões tardios, um dos mais graves foi o Longwang, que durante o feriado do Dia Nacional de 2005 deixou 85 mortos, dentre os quais 59 eram estudantes de uma escola de Polícia Marinha que ficou soterrada por um deslizamento de terra.

Tudo o que sabemos sobre:
Tufão Krosa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.