Tufão 'Ma-on' deixa 1 desaparecido e quase 50 feridos no Japão

Fenômeno qualificado como 'muito forte', deve afetar Tóquio nesta quarta-feira, antes de prosseguir em direção às zonas afetadas pelo terremoto em março

Efe,

20 de julho de 2011 | 02h53

TÓQUIO - Pelo menos 47 pessoas ficaram levemente feridas e uma está desaparecida no Japão devido ao tufão "Ma-on", que na terça-feira, 19, tocou a terra na ilha de Shikoku e nesta quarta-feira, 20, continua sua passagem rumo ao noroeste do país com chuvas torrenciais e fortes ventos.

 

O tufão, qualificado como "muito forte" pela Agência Meteorológica do Japão, se movimenta lentamente das ilhas de Kyushu e Shikoku em direção noroeste com precipitações que podem superar 1 mil milímetros e fortes ventos de mais de 144 km/h.

 

O "Ma-on", que deve afetar Tóquio nesta quarta-feira antes de prosseguir em direção às zonas afetadas pela catástrofe de março, forçou a suspensão do transporte público em muitas províncias, atrasos nos serviços ferroviários e o cancelamento de dezenas de voos, informou a agência local Kyodo.

 

Além disso, cerca de 170 mil imóveis sofreram cortes temporários de eletricidade, enquanto algumas casas ficaram inundadas nas províncias de Shiga, Kochi e Wakayama (centro) e na ilha de Awaji (província de Hyogo), onde a água do mar bloqueou várias estradas.

 

A Tokyo Electric Power Company (Tepco), operadora da usina nuclear de Fukushima, se prepara para a chegada do tufão à região nos próximos dias.

A Tepco instalou na terça-feira um teto metálico provisório sobre o edifício de turbinas do reator 3, cuja cobertura foi perfurada por uma explosão de hidrogênio pouco depois de o terremoto e o tsunami de 11 de março terem danificado a usina.

 

Com isso, a operadora pretende evitar que as precipitações aumentem ainda mais a quantidade de água radioativa acumulada nas instalações, um dos principais empecilhos para a solução da crise.

Tudo o que sabemos sobre:
JapãptufãoTóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.