Tufão matou cerca de 500 em Taiwan, diz presidente

As enchentes e os deslizamentos de terra provocados pelo tufão Morakot durante o último fim de semana provocaram a morte de cerca de 500 pessoas em Taiwan, afirmou hoje o presidente Ma Ying-jeou. Segundo ele, até o momento, 120 mortes foram confirmadas, mas 380 pessoas estão presas sob os escombros de deslizamentos de terra e muito provavelmente estão mortas. O presidente taiwanês qualificou os danos causados pela passagem do tufão com os piores em mais de 50 anos.

AE-AP, Agencia Estado

14 de agosto de 2009 | 11h13

O Morakot destruiu imóveis onde viviam cerca de 7.000 pessoas e os danos a campos de cultivo e propriedades são calculados em US$ 1,5 milhão, disse o presidente, durante uma conferência de segurança nacional, a primeira convocada por ele desde que assumiu o governo há um ano e três meses.

O tufão provocou precipitações de 200 milímetros em um curto intervalo de tempo em Taiwan. Mais de 15.400 pessoas precisaram ser resgatadas e 1.900 continuam isoladas. "Enquanto prosseguem as operações de resgate, damos início às obras de recuperação e reconstrução, tão urgentes quanto os trabalhos humanitários, mas talvez ainda mais difíceis e demorados", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
TaiwantufãoMorakotmortospresidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.