Tufão nas Filipinas deixa pelo menos dois mortos

O tufão Parma, que atingiu hoje as Filipinas, deixou pelo menos duas pessoas mortas e desalojou dezenas de milhares, segundo oficiais do governo. A tempestade encheu rios e arrancou telhados e postes de eletricidade nas regiões montanhosas do Norte do país.

AP, Agencia Estado

03 de outubro de 2009 | 10h17

A tempestade - segunda maior em oito dias - ia em direção à extremidade nordeste da ilha principal de Luzon, mas mudou seu caminho rumo a Taiwan, onde vilarejos do sul começam a ser evacuados.

A capital das Filipinas, Manila, escapou da pior etapa da tempestade. A cidade ainda estava se recuperando das fortes chuvas de 26 de setembro, que causaram as piores enchentes em 40 anos, mataram ao menos 288 pessoas e danificaram as casas de 3 milhões de habitantes.

As províncias de Cagayan e Isabela foram atingidas com mais força hoje por ventos intensos e chuvas volumosas. A comunicação e as estradas de algumas cidades foram interrompidas. "Os danos são bem pesados", disse o chefe de polícia Roberto Damian à emissora de televisão ABC-CBN. "Estamos limpando as rodovias e estradas para chegar até as pessoas que estão pedindo resgate."

Em Isabela, um homem se afogou e outro morreu exposto ao frio e à umidade. Dezenas de milhares de pessoas foram levadas para regiões mais seguras das Filipinas, distantes do tufão, embora oficiais tenham dito que a ameaça de outro desastre nacional seja menor já que o Parma mudou seu percurso.

Taiwan acionou um alerta de tempestades e começou a tirar pessoas de vilarejos em Kaohsiung, onde o último tufão matou 700 pessoas em agosto.

Tudo o que sabemos sobre:
Filipinastufãotempestade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.