Erwin Mascarinas/AP
Erwin Mascarinas/AP

Tufão nas Filipinas mata 43 pessoas e desloca 54 mil

Número de mortos foi informado por repórter de TV local mas não foi confirmado pelas autoridades filipinas

AE, Agência Estado

04 de dezembro de 2012 | 11h25

Texto atualizado às 12h22

 

MANILA, FILIPINAS - O tufão Bopha atingiu as províncias do sul das Filipinas com força nesta terça-feira, 4, causando a morte de ao menos 43 pessoas na cidade de Nova Bataan na ilha de Mindanao, segundo a rede de televisão local ABS-CBN.

 

"Eu contei 43 corpos no chão", disse a repórter Vina Araneta por telefone em edifício do governo em Nova Bataan. As autoridades não confirmaram os números da emissora, mas disseram hoje mais cedo que oito pessoas morreram em outros locais de Mindanao.

 

O desastre já deixou famílias sem eletricidade, suspendeu voos e inundou áreas vulneráveis a deslizamentos. Mais de 54 mil pessoas já deixaram suas casas em zonas de risco, como vilarejos costeiros ou locais próximos a rios, incluindo as regiões que foram devastadas por uma tempestade no ano passado.

 

Buscas

 

O chefe de defesa civil do país, Benito Ramos, disse que autoridades estavam fazendo buscas por vítimas e danos causados por um deslizamento de terra na região montanhosa da província do Vale da Compostela. Também estão sendo realizadas operações para verificar baixas nas províncias de Leyte e Davao Oriental.

 

A eletricidade foi cortada em diversos municípios em Surigao del Sur, Surigao del Norte e Davao Oriental, enquanto áreas da província de Agusan del Sur estão inundadas.

 

Pelo menos 80 voos domésticos já foram cancelados desde ontem. O Bopha, que pode atingir uma área de 600 quilômetros, deve sair das Filipinas na sexta-feira. Cerca de 20 tufões atingem as Filipinas todo ano, que normalmente causam mortes e destruição. O tufão Washi matou 1,5 mil pessoas em Mindanao, em 2011.

 

As informações são da Associated Press e da Dow Jones

Mais conteúdo sobre:
Filipinastufão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.