AP
AP

Tufão no Japão fere 4 e deixa 30 mil casas sem energia

Fernômeno no arquipélago de Okinawa fez com que todos voos do aeroporto de Naha fossem cancelados

AE, Agência Estado

26 de agosto de 2012 | 12h54

Quatro pessoas ficaram feridas e cerca de 30 mil casas do arquipélago japonês de Okinawa tiveram a eletricidade cortada por causa da passagem do tufão Bolaven, o mais poderoso a atingir o sul do Japão nos últimos anos.

Os moradores foram alertados de que os ventos fortes poderiam virar carros e causar ondas de até doze metros, por isso o governo havia aconselhado que eles se mantivessem dentro de casa. O tufão também fez com que todos os voos domésticos e internacionais do aeroporto de Naha fossem cancelados.

A expectativa era de que o tufão passasse pelas ilhas durante o domingo à noite, despejando cerca de 50 milímetros de chuva durante um período de 24 horas, indicaram os oficiais de meteorologia.

Por volta de 27 mil casas na ilha de Amami, norte de Okinawa, foram deixadas sem eletricidade, e 3,1 mil moradias em Okinawa também ficaram sem luz. Imagens captadas na cidade de Naha, capital da província, mostram ruas desertas, algumas árvores arrancadas pelos ventos fortes e outras com os galhos quebrados.

A Agência Meteorológica do Japão disse que a velocidade dos ventos próximos ao centro do tufão atingiram cerca de 180 km/h, com rajadas 252 km/h.

O Bolaven deve continuar para o leste do Mar da China sem perder muita força e, em seguida, para o Mar Amarelo, possivelmente afetando áreas costeiras do sul da Coreia do Sul na terça-feira, afirmaram autoridades japonesas. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
OkinawaBolavenAeroporto de NahaJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.