Tufão Saomai deixa 325 mortos na costa chinesa

A descoberta de mais seis corpos no município de Fuding, no leste da China, elevou para 325 o número de vítimas do tufão Saomai, o mais devastador a atingir o país nos últimos 50 anos, informou a agência estatal de notícias Xinhua. Cinco dos corpos são de pescadores que se afogaram em águas do povoado de Shacheng, o mais afetado pelo tufão. Morreram pelo menos 180 marinheiros na localidade. O sexto corpo foi encontrado num barranco de outra localidade do município, disseram fontes do governo local. Pelo menos 81 pessoas ainda estão desaparecidas. Os trabalhos de resgate continuam. "Quase tudo o que havia de valor em Shacheng foi destruído pelo tufão. Todos os criadouros de peixes e mariscos acabaram. A localidade está sem eletricidade, nem comida, nem água", lamentou umpescador ao jornal "South China Morning Post". As críticas às autoridades, por sua ineficiência e falta de transparência, continuam no pequeno povoado destroçado pelo tufão. Mas só imprensa de Hong Kong e os sites de internet registram ainsatisfação popular. O Saomai atingiu uma faixa litorânea que se estende entre as províncias de Fujian, onde morreram 236 pessoas, e Zhejiang, com 87mortos e 52 desaparecidos. Os serviços meteorológicos previram a chegada nesta quinta-feira de uma nova tempestade tropical, a Wukong, nome da lendária figura do Rei Macaco imortalizada no romance clássico "Viagem ao Oeste". A tempestade poderia chegar ao Mar da China Oriental e ao Amarelo com fortes ventos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.