Tufão Saomai já deixou 114 mortes na China

O número de mortos no sul da China após a passagem do tufão Saomai, o mais potente dos últimos 50 anos, subiu para 114, depois que as equipes de resgate encontraram outros oito corpos, informou a agência oficial "Xinhua".Além disso, o tufão, oitavo do ano a atingir a China, deixou pelo menos 183 pessoas desaparecidas, o que supõe que o número de mortos pode seguir aumentando nos próximos dias.Apesar de sua força, o tufão parece ter causado menos danos materiais até o momento que os dois maiores de julho, o Bilis e o Kaemi, que deixaram no sul da China um trágico balanço de mais de 700 mortos e cerca de 100 milhões de afetados.Nas províncias litorâneas de Fujian e Zhejiang, que sofrem com a passagem de dezenas de tufões a cada ano, mais de 3,5 milhões de pessoas foram afetadas pelo Saomai.A próspera cidade portuária de Wenzhou, na província litorânea oriental de Zhejiang (primeira a sofrer os efeitos do tufão), foi a mais afetada, com pelo menos 81 mortos e 11 desaparecidos.Em Fujian, o número de mortes chegou a pelo menos 25, e as fortes chuvas e vendavais derrubaram praticamente todas as casas em algumas aldeias, como Baisheng, no município de Fuding.O tufão não causou danos apenas em áreas litorâneas, mas também na província interior de Jiangxi, onde foi reportada a morte de duas pessoas e a ruptura de seis pequenos açudes.O vice-primeiro-ministro chinês, Hui Liangyu, encarregado de supervisionar as tarefas de controle de inundações e secas, pediu às autoridades das áreas afetadas que considerem prioritária a segurança do povo e sigam trabalhando para reduzir ao máximo as perdas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.