Tufão Saomai já fez 436 mortos na China

O número de mortos pelo tufão Saomai na China, o pior registrado no país em 50 anos, chegou a 436,depois da descoberta dos corpos de desaparecidos entre os escombros de casas, informou a agência oficial de notícias Xinhua. Os mortos na província oriental de Zhejiang, uma das mais afetadas, são 193. As equipes de resgate encontraram 106 corpos que tinham ficado soterrados após a queda de 39 mil casas, provocadapelos fortes ventos e inundações. Das 193 vítimas na província, 144 morreram na queda das casas.Outras 11 pessoas permanecem desaparecidas. Mais de 2,5 milhões ficaram desabrigadas. A província de Fujian é a mais afetada, com 241 mortos, dos quais 213, em sua maioria pescadores, na localidade litorânea de Fuding. O número pode aumentar consideravelmente. Segundo Cai Meisheng,vice-prefeito de Fuding, ainda há corpos nos mais de 491 barcos de pesca que naufragaram na tempestade. Segundo moradores do povoado, consultados pelo jornal "South China Morning Post", o total de mortos em Fuding pode chegar a mil. Mas o Ministério de Assuntos Civis publicou uma circular na qual nega as acusações dos habitantes da localidade, de que o número real de mortos estaria sendo omitido. Segundo um porta-voz do Ministério, as autoridades locais não podem oferecer ainda um número preciso de mortos porque estão dando prioridade aos trabalhos de resgate. Na província de Jiangxi houve duas mortes. Os prejuízos em Zhejiang e Fujian chegam a US$ 2,984 bilhões. O Saomai, oitavo tufão na China este ano, chegou a Zhejiang em 10 de agosto. Sua potência foi comparada à do Katrina, que devastou a costa americana no ano passado, já que provocou onaufrágio de mais de mil barcos na faixa litorânea. Os serviços meteorológicos previram a chegada, esta semana, de uma nova tempestade tropical, a Wukong.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.