Tumulto atinge capital da região chinesa de Xinjiang

Manifestantes na região de Xinjiang, no extremo oeste da China, incendiaram veículos e bloquearam o trânsito na capital regional, Urumqi, e a polícia correu ao local para impor a ordem, informou a agência estatal de notícias Xinhua no domingo.

REUTERS

05 de julho de 2009 | 13h16

De acordo com relato breve da Xinhua, os manifestantes "atacaram transeuntes e atearam fogo a veículos. Eles também derrubaram uma grade de proteção do tráfego e interromperam o trânsito em algumas ruas da cidade".

A notícia não especificou a etnia dos envolvidos nos tumultos.

Uma fonte de Pequim que disse ter falado com testemunhas oculares dos incidentes disseram que os manifestantes eram uigures, membros de um grupo muçulmano grande cuja língua e cultura é próxima à dos povos turcomanos da Ásia central.

O conflito explodiu perto de um mercado da cidade, levando milhares de pessoas às ruas, disse a fonte, que exigiu anonimato.

Muitos uigures rejeitam o governo chinês da maioria étnica han, queixando-se de serem econômica e politicamente marginalizados em sua própria terra, que possui ricas reservas minerais e de gás natural.

Quase metade dos 20 milhões de habitantes de Xinjiang são uigures. Muitos deles repudiam os controles impostos por Pequim e o grande fluxo de migrantes chineses da etnia han.

A população de Urumqi é predominantemente de chineses han.

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAXINJIANGDISTURBIOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.