Tumulto em templo mata 168 na Índia

Falso rumor sobre bomba provocou pânico entre peregrinos no Rajastão

AP, AFP, Efe e Reuters, Nova Délhi, O Estadao de S.Paulo

01 de outubro de 2008 | 00h00

Um tumulto em uma peregrinação religiosa na Índia deixou ontem pelo menos 168 mortos e mais de 400 feridos no noroeste do país. A confusão começou quando dezenas de milhares de peregrinos entraram em pânico por falsos rumores de que uma bomba teria sido encontrada no local. O tumulto foi o terceiro no ano registrado em eventos religiosos na Índia.O pisoteamento ocorreu no primeiro dos nove dias do festival hindu de Navratri, enquanto mais de 12 mil peregrinos se dirigiam ao forte de Mehrangarh, no povoado histórico de Jodhpur, no Estado de Rajastão. Para chegar ao templo de Chamunda, localizado dentro do forte, os peregrinos têm de caminhar por uma rampa de 2 quilômetros de comprimento e apenas alguns metros de largura.O caminho havia sido dividido pelas autoridades em duas partes - uma para homens e outra para mulheres e crianças - com o objetivo de organizar a procissão. No entanto, quando a correria começou, o caminho destinado aos homens tornou-se escorregadio por causa das oferendas levadas até o templo. A barreira que separava o caminho também caiu."Alguém escorregou e, então, as pessoas começaram a cair uma sobre as outras", disse G.C. Kataria, secretário do Interior do Rajastão. Segundo ele, o número de mortos ainda pode aumentar porque alguns dos feridos estão em estado grave. "Tudo aconteceu como um raio: uma pessoa caiu e arrastou as outras", afirmou S.N. Thanvi, secretário de Estado. "A maior parte das pessoas morreu por asfixia." A ministra-chefe do governo regional, Vasundhara Raje, visitou o local do tumulto logo depois do ocorrido e anunciou a abertura de uma investigação do caso. Ela também prometeu uma ajuda de US$ 4,3 mil às famílias dos mortos e de US$ 1 mil para os feridos.O pânico de ontem se justifica pelos recentes atentados à bomba na Índia, normalmente lançados em locais que concentram grande número de pessoas. O último ataque ocorreu na segunda-feira à noite na cidade de Malegaon, oeste do país, deixando 6 mortos e 45 feridos. No sábado, uma bomba explodiu em um mercado de Nova Délhi, matando 2 pessoas e ferindo pelo menos outras 22.Incidentes como o de ontem são comuns na Índia, onde multidões se aglomeram em lugares apertados e sem controle de segurança para participar de festivais religiosos. Em agosto, 145 pessoas morreram durante um tumulto no templo de Naina Devi, que fica no alto de um morro no distrito de Bilaspur, a 255 quilômetros de Nova Délhi. De acordo com a polícia, a causa desse tumulto foi, provavelmente, um deslizamento de pedras de um morro próximo ao templo. Em janeiro de 2005, um tumulto semelhante deixou 265 mortos nas imediações de um templo no Estado de Maharashtra.TRAGÉDIAS EM PEREGRINAÇÕES 02/7/1990: Falha no sistema de ventilação de um túnel na Arábia Saudita causa tumulto no caminho para Meca e mata 1.426 peregrinos - a maioria por asfixia 01/2/2004: No ritual de apedrejamento de satã, na Arábia Saudita, 251 pessoas morrem pisoteadas em tumulto 25/1/2005: Mais de 300 peregrinos hindus morrem no caminho para o templo Mandhar Devi, na Índia 31/8/2005: Mais de mil peregrinos morrem pisoteados ou afogados no Rio Tigre, no Iraque, após pânico originado por rumores sobre uma bomba 1/1/2006: Tumulto mata 364 pessoas em peregrinação rumo a Meca, na Arábia Saudita 03/8/2008: Pelo menos 145 morrem em tumulto durante peregrinação no templo hindu Naina Devi, na Índia, após um deslizamento de pedras de um morro próximo ao local

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.