Tunísia: diplomatas sequestrados voltam para casa

Dois diplomatas da Tunísia que foram sequestrados por meses na Líbia voltaram para casa nesta segunda-feira, sendo recebidos no Aeroporto de Túnis pelo presidente do país e outras autoridades.

AE, Agência Estado

30 de junho de 2014 | 16h17

Os homens foram sequestrados em março e abril por extremistas armados que pediam, em contrapartida, a liberação dos líbios aprisionados na Tunísia. Não está claro se a libertação dos diplomatas prevê a soltura também dos prisioneiros líbios.

O presidente da Tunísia, Moncef Marzouki, e o primeiro-ministro, Mehdi Jomaa, cumprimentou os diplomatas Mohammed Ben Cheikh e Laroussi Kontassi. Os dois homens disseram que o período em que ficaram detidos foi difícil, mas que eles eram bem tratados. Eles também disseram que não sabiam quem eram os seus raptores.

Um grupo chamado Shebab al-Tawhid publicou um vídeo em abril pedindo a libertação de alguns membros acusados de crimes de terrorismo na Tunísia. Nas imagens, Ben Cheikh pedia às autoridades da Tunísia que reabrissem as negociações.

O ministro das Relações Exteriores da Tunísia, Mongi Hamdi, disse que não houve negociações com os sequestradores, mas não descartou que os prisioneiros líbios sejam enviados de volta ao seu país de origem no âmbito das convenções anteriores.

A Líbia tem sido assolada por uma série de milícias fortemente armadas e uma onde de sequestros desde a queda do ditador Muamar Kadafi, em 2011. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
TunísiaLíbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.