Tunísia emite ordem de prisão para viúva de Arafat

O governo da Tunísia emitiu ontem um mandado de prisão internacional contra a viúva do líder palestino Yasser Arafat, Suha. Ela foi envolvida em denúncias de corrupção contra a família do ex-ditador tunisiano Zine Abidine Ben Ali.

TÚNIS, O Estado de S.Paulo

01 de novembro de 2011 | 03h06

De acordo com as investigações do Ministério da Justiça, houve desvio de dinheiro na construção, em 2007, de uma escola patrocinada por Suha e Leila Trabelsi, mulher do líder tunisiano deposto em janeiro.

"A Tunísia emitiu um pedido de prisão contra a senhora Arafat por suspeita de envolvimento em crimes de corrupção financeira cometidos pela família Ben Ali", declarou o porta-voz do Ministério da Justiça tunisiano, Shokri Nafti.

A Tunísia foi sede da Organização de Libertação da Palestina (OLP) nos anos 80 e começo da década de 90, antes da assinatura dos Acordos de Oslo. Depois da morte de Arafat, em 2004, a mulher dele recebeu cidadania tunisiana e aproximou-se da família de Ben Ali.

Em 2007, após um desentendimento com Leila, Suha perdeu a cidadania tunisiana e foi expulsa do país. Hoje ela vive em Malta.

Suha disse ser inocente. "Rejeito todas as acusações e estou disposta a enfrentar o caso", afirmou. "Já entrei em contato com um advogado tunisiano, mas não tenho conhecimento dessa ordem de prisão." Ela disse que não tem nenhum vínculo com a escola desde 2007 e cedeu sua participação a Asmaa Mahjoub, sobrinha de Leila. Desde a queda de Ben Ali, seus parentes têm sido acusados de diversas irregularidades no país. / AP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.