Tunísia já prendeu 33 parentes do ex-presidente Ben Ali

Relógios, joias e cartões de crédito são apreendidos em casas da família do líder

Agência Estado

20 de janeiro de 2011 | 09h29

TÚNIS - A TV estatal da Tunísia informou nesta quinta-feira, 20, que 33 familiares do líder deposto Zine El Abidine Ben Ali foram presos nos últimos dias. Imagens mostraram relógios, joias e cartões de crédito internacionais apreendidos em ações nas casas de parentes do ex-presidente. Ben Ali fugiu para a Arábia Saudita na semana passada.

 

Veja também:

linkMinistros deixam partido governista na Tunísia

link'Revolta tunisiana é aviso prévio a outros governos'

blog A expansão da democracia no mundo árabe

 

Na quarta, autoridades abriram uma investigação por suposto desvio de verbas públicas contra o ditador e sua família.

 

Segundo um funcionário do governo interino que não quis se identificar, todos os ministros que eram membros da União Constitucional Democrática (RCD, na sigla em inglês), partido de Ben Ali, deixaram a agremiação. "Todos os ministros da RCD deixaram o partido", afirmou a fonte à France Presse.

 

A agência estatal Tunisian Press Agency (TAP) também anunciou que os ministros da RCD haviam abandonado suas responsabilidades no partido. O presidente interino, Foued Mebazaa, e o primeiro-ministro Mohammed Ghannouchi haviam feito o mesmo na terça-feira.

 

Ben Ali abandonou a Tunísia na última sexta-feira, em meio a fortes protestos, encerrando uma ditadura de 23 anos. Desde então estão ocorrendo manifestações para que nenhum integrante da RCD fique no governo de transição. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.