Tunísia lança campanha contra uso do véu islâmico feminino

O governo tunisiano iniciou neste sábado o queparece ser uma campanha oficial contra o uso do véu islâmico pelasjovens tunisianas, com referência a seu caráter "sectário e deinspiração estrangeira". Por causa do mês do Ramadã, observou-se na Tunísia um aumentoconsiderável das vestimentas femininas islâmicas - em particular, ovéu -, que o governo rejeita como alheio às tradições tunisianas. O ministro do Exterior tunisiano, Abdelwahab Abdallah, afirmouneste sábado em uma reunião de militantes do partido governamental que"existe o perigo das vestimentas sectárias". "O véu islâmico é uma proclamação política, defendido por um pequenogrupo, que se dissimula por trás da religião para realizar açõespolíticas", disse o chefe da diplomacia tunisiana. O véu, importado do Oriente Médio, não faz parte da tradiçãotunisiana, já que este país tem a legislação mais avançada entre ospaíses árabes a favor dos direitos das mulheres. Ao contrário de outros países árabes, a poligamia e o repúdio daesposa são formalmente proibidos na Tunísia, e a mulher pode pedir odivórcio e manter a guarda dos filhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.