Tunisianos entram em confronto com a polícia

Quinze pessoas ficaram feridas nesta quinta-feira durante um protesto que se tornou violento na cidade de Kef, noroeste da Tunísia. A polícia usou gás lacrimogêneo para dispersar o protesto de centenas de moradores de Kef, quando os participantes do ato tentaram invadir a sede do governo local gritando "não à exclusão, à marginalização e ao desprezo", informou a emissora pública de rádio da cidade.

AE, Agência Estado

24 Maio 2012 | 13h19

Os manifestantes, que jogaram pedras contra os policiais, reclamavam do fato de sua região não receber uma parcela justa dos recursos do governo e acusam o governador Abdelkader Trabelsi de não proteger os interesses dos eleitores.

Os manifestantes exigem mais empregos, gastos em infraestrutura e um hospital universitário, segundo informações postadas em sites tunisianos.

"Há alguns feridos, pessoas que desmaiaram por causa do gás lacrimogêneo e confrontos entre policiais e jovens, que jogam pedras", declarou o manifestante identificado como Hichem à agência France Presse, por telefone.

Quinze pessoas ficaram feridas, uma delas em estado grave, disse uma fonte hospitalar.

Kef, cidade de cerca de 50 mil habitantes, fica a cerca de 170 quilômetros a oeste de Túnis e é a capital da região do mesmo nome. Kef era uma das regiões frequentemente negligenciadas pelo regime de Zine El Abidine Ben Ali, que foi deposto em janeiro de 2011 após protestos que deram origem à Primavera Árabe. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Tunísia manifestação Kef

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.