Turcomenistão: oposição reclama que exilados não retornam

Representantes da oposição turcomanadenunciaram nesta sexta-feira que as autoridades do Turcomenistão impedem seuretorno do exílio após a súbita morte do presidente da República,Saparmurat Niyazov. "O assunto-chave é o retorno da oposição, mas o Governo doTurcomenistão o impede", disse Bater Mujamedov, que se identificacomo representante da oposição unificada, segundo a agência russaInterfax. Mujamedov denunciou que as novas autoridades turcomanas fecharamas fronteiras do país e a administração do aeroporto de Achkabad, acapital, negou a permissão de aterrissagem de um avião charter quedecolaria da Suécia, com uma escala na Rússia. "A companhia de aviação, responsável pelo vôo charter, negocioucom as autoridades do aeroporto de Achkabad, mas recebeu aexplicação de que (no país) regem a proibição para a navegação aéreae uma advertência de que os aviões que a violarem serão abatidos",Ressaltou. Mujamedov acrescentou que os líderes da oposição ao regimeditatorial de Niyazov têm intenção de se reunir em um país europeu eque esperam "contar com o respaldo da comunidade internacional". O opositor insistiu em que "o não-retorno da oposição aoTurcomenistão significa a manutenção do rumo de Niyazov", quedurante 21 anos governou com mão de ferro o país, com grandesrecursos energéticos. O representante da oposição também colocou em dúvida a versãooficial das causas da morte do "pai de todos os turcomanos", epresidente vitalício do Turcomenistão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.