Turismo no Caribe deve escapar de impacto, estima ONU

A indústria do turismo no Haiti e no Caribe não deve sofrer impactos de longo prazo por causa do terremoto que atingiu a capital haitiana, Porto Príncipe, na terça-feira passada. A estimativa foi divulgada hoje pela Organização do Turismo Mundial das Nações Unidas, em Madri.

AE, Agencia Estado

18 de janeiro de 2010 | 14h39

"Nós não esperamos muitos efeitos de longo prazo em termos de turismo", afirmou Taleb Rifai, secretário-geral da organização. "Nossa experiência mostra que a recuperação nessas situações vem rápido em termos de percepção pública."

Ele disse que o efeito do terremoto no Haiti deve ser mais sentido na infraestrutura turística. Em relação ao Caribe como um todo, "nós não acreditamos que terá um efeito duradouro", disse Rifai.

"Nós acreditamos que, na mente das pessoas e na percepção pública, a atitude de solidariedade em relação ao Haiti é poderosa", disse o secretário-geral. Rifai falou durante uma entrevista coletiva em Madri, no lançamento de um relatório da organização anual sobre o turismo mundial.

O relatório aponta que o turismo no Caribe voltou a crescer nos últimos quatro meses de 2009. No ano passado todo, porém, as viagens para toda a região das Américas caíram 5%.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
HaititerremototurismoONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.