Turistas começam a ser retirados de Machu Picchu

O governo do Peru retirou 20 idosos e turistas doentes de helicóptero da vila de Machu Picchu, perto das ruínas incas, segundo a Rádio CPN, de Lima. A região sofre com fortes chuvas e deslizamentos, que bloquearam a rota de trem para as ruínas e deixaram quase 2 mil turistas isolados. O governo peruano decretou estado de emergência na região.

AE-AP, Agencia Estado

26 de janeiro de 2010 | 12h44

Funcionários do governo disseram que 1.954 turistas ficaram presos na vila. O trem é o único meio de transporte na primeira parte da viagem para as ruínas. "Muitas pessoas estão sem dólares ou soles peruanos e imploram por comida e água para suas crianças ou por acomodações. Outros estão espalhados pelo chão da estação ferroviária, esperando", relatou a turista mexicana Alva Ramirez, de 40 anos, por telefone. Ela disse que os hotéis estão lotados.

Uma porta-voz da Perurail afirmou que equipes trabalham ininterruptamente para retirar pedras e lama dos trilhos. No entanto, ela disse que uma enchente no adjacente rio Urubamba atrasou a limpeza. As chuvas pararam ontem e a Perurail informou, em comunicado, que o serviço deve ser retomado hoje, "se o tempo permitir". Segundo a empresa, helicópteros militares entregaram água e comida para a vila e ajudariam na retirada das pessoas.

Fortes chuvas atingiram a região de Cuzco nos últimos três dias. As enchentes e deslizamentos mataram uma mulher e um bebê e danificaram uma parede de pedras em um sítio arqueológico perto de Cuzco, a antiga capital inca. "Este ano é absolutamente atípico. Essa situação não ocorreu nos últimos 15 anos. O rio nunca esteve tão cheio", contou o ministro de Turismo e Comércio Exterior, Martín Pérez, em entrevista coletiva.

Tudo o que sabemos sobre:
PeruMachu Picchuchuvaretiradaturistas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.