Turistas continuam desaparecidos, diz porta-voz do Egito

O ministro do Exterior do Egito, Ahmed Aboul Gheit, afirmou mais cedo que os turistas estrangeiros, capturados no Egito perto da fronteira do Sudão, na sexta-feira, foram libertados, mas o próprio porta-voz do chanceler, Hossam Zaki, disse à Associated Press que o ministro falava sobre "relatórios sem confirmação" e que "a situação permanecia sem mudanças", ou seja, os turistas continuariam em cativeiro.O grupo de onze turistas europeus e oito egípcios foi seqüestrado durante um safári no Deserto do Saara, perto da fronteira do Sudão, na sexta-feira. Hoje foram divulgados relatos conflituosos sobre o destino dos turistas. Mais cedo, logo após chegar a Nova York, o ministro do Exterior do Egito informou que os turistas foram libertados na noite de hoje (horário local).Gheit disse que os turistas foram capturados por "gângsteres" e "marginais". Ele não informou se um resgate foi pago e nem as circunstâncias da libertação dos turistas, que estavam em uma parte remota do país, quando foram seqüestrados na sexta-feira. O grupo incluía cinco alemães, cinco italianos e um romeno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.