Darko Vojinovic/AP
Darko Vojinovic/AP

Turistas deixam a Tunísia após ataque terrorista que provocou 39 mortes

Centenas de turistas europeus deixaram a Tunísia hoje, após o ataque que deixou 39 pessoas mortas.

O Estado de S. Paulo

27 de junho de 2015 | 17h32

Operadoras de turismo da Europa começaram a retirar seus clientes do país e cancelar viagens planejadas para a Tunísia em resposta ao ataque no qual um homem armado com um rifle Kalashnikov atirou contra turistas em um resort antes de ser morto, informou o ministério do Interior da Tunísia.

O Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade pelo ataque. O grupo divulgou um comunicado hoje, que foi verificado pelo SITE Intelligence Group, que monitora as atividades jihadistas em todo o mundo.

O primeiro-ministro da Tunísia, Essid Held, informou que o nome do atirador era Seifeddine Rezgui, de 23 anos, da cidade de Seliana, no noroeste do país.

Rezgui estudou em uma universidade em Kairouan, situada a uma hora de Sousse, conhecida por ser passagem para terroristas tunisianos que deixaram o país para lutar na Síria e na Líbia.

Testemunhas e sobreviventes disseram que o massacre durou 20 minutos, com uma enorme quantidade de balas disparadas e ao menos uma granada detonada. Eles caracterizaram Rezgui como uma pessoa calma, enquanto percorria o caminho da praia até a área da piscina, seguindo para dentro do edifício do hotel e parando três vezes para recarregar.

Ele teria tomado cuidado para não atingir tunisianos, já que seu objetivo era acertar estrangeiros, disse uma testemunha. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
TUNÍSIAATAQUEterrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.