Turistas estrangeiros vão poder entrar na Espanha a partir de julho

Turistas estrangeiros vão poder entrar na Espanha a partir de julho

Governo anunciou que setor turístico deve começar a se preparar para retomada das atividades; na segunda, Madri e Barcelona aliviam lockdown

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de maio de 2020 | 10h54

O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, afirmou neste sábado, 23, que o país vai abrir as fronteiras para turistas a partir de julho. "A Espanha os espera desde julho e quem pisar na Espanha poderá contar que está pisando em um solo com garantias sanitárias", disse. 

O chefe do governo espanhol afirmou que haverá temporada turística em 2020 e que o objetivo da decisão é reativar as atividades do setor nesta temporada. "Convido todos os braços do setor para que se preparem para retomar suas atividades: estejam prontos para acolher os espanhóis e quem queira desfrutar suas férias em qualquer um dos formidáveis destinos de nosso país".  

Em suas declarações, Sánchez afirmou que os espanhóis poderão começar a aproveitar a temporada já no fim de junho. Também foi anunciado que o campeonato espanhol de futebol retoma em 8 de junho, após quase três meses de paralisação. "A Espanha fez muito do que precisava e agora se abrem novos horizontes para todos. Chegou o momento de recuperar muitas atividades cotidianas". Ele ressaltou, no entanto, que é preciso "manter o vírus sob controle" e "não relaxar". 

Na sexta, o governo anunciou que Madri e Barcelona poderão reabrir museus, hotéis e a área externa de bares e restaurantes a partir da próxima semana. Cerca de 22 milhões de espanhóis serão beneficiados com o afrouxamento do distanciamento social no país, que vai prever ainda abertura de de praias, piscinas e até teatros. Agora, todo o país estará pelo menos na segunda fase do plano de saída do bloqueio.

A reabertura será realizada com restrições de capacidade para continuar controlando o avanço da covid-19, que até o momento já causou cerca de 28 mil mortes na Espanha. O limite nos restaurantes será de 50% das mesas, nas quais podem se juntar apenas 10 pessoas. Museus vão reabrir com um terço da capacidade. Nos hotéis, áreas de eventos, piscinas e academias estarão fechadas. Centros comerciais só podem voltar a funcionar com 40% do público. / EFE, Reuters e AFP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.