Turistas são mantidos como refém na Índia

Trinta e sete turistasestrangeiros partiram hoje para a capital indiana depois deterem sido mantidos como reféns por manifestantes queprotestavam contra o seqüestro de três indianos no Iraque,informou a polícia. Os turistas - 22 britânicos, dois sul-coreanos, um japonês,um americano, um canadense, dois suíços, dois poloneses, umholandês, três tibetanos e outros dois de nacionalidadedesconhecida - estavam a caminho de Nova Délhi, na altura dacidade himalaia de Dhamsala, casa do líder espiritual tibetano,o dalai-lama, quando foram parados pelos manifestantes. A polícia conseguiu persuadir os manifestantes a permitir queos turistas viajassem a Nova Délhi. Cerca de 1.500 pessoasparticipavam do protesto, que consistia em bloquear uma rodoviapróxima a Una, a cerca de 300 quilômetros ao noroeste da capitalindiana. Elas acusavam o governo de não fazer o suficiente paralibertar os três indianos que foram tomados como reféns noIraque. Os turistas, que viajavam em dois ônibus, foram parados nobloqueio da estrada na altura da vila de Sontoshgarh, nodistrito de Una, cidade de dois dos três caminhoneirosseqüestrado no Iraque. Os turistas ficaram em poder dosmanifestantes por cerca de 18 horas. Ninguém ficou ferido. Na Jordânia, amigos e parentes dos quatro jordanianosseqüestrados no Iraque fizeram hoje uma manifestação por sualibertação. Gritando "Morte à América", eles exigiam que ogoverno de Amã parasse de apoiar os Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.