Turquia aceita comandar força internacional no Afeganistão

Com forte apoio dos Estados Unidos, a majoritariamente muçulmana Turquia aceitou nesta segunda-feira o comando da força internacional de paz no Afeganistão, numa mudança de posição que poderá ajudar a Casa Branca em seu intento de provar que a guerra contra o "terror" não é um conflito entre o Islã e o Ocidente.O governo turco informou que receberá da Grã-Bretanha o comando da força de 4.500 homens durante seis meses, mas nenhuma data foi fixada por enquanto. Autoridades britânicas dizem não acreditar que a mudança de comando ocorrerá antes de junho."A data da entrega de comando será determinada após negociações com o Afeganistão, a Grã-Bretanha e a Organização das Nações Unidas (ONU)", declarou Yilmaz Karakoyunlu, porta-voz do gabinete turco. O anúncio foi feito depois que o secretário de Defesa dos EUA, Donald H. Rumsfeld, enviou uma carta ao governo turco, garantindo o total apoio norte-americano se a Turquia assumir o comando da força, informou a emissora privada NTV.A Turquia tem cerca de 270 mantenedores de paz no Afeganistão e é o único país muçulmano a contribuir com a força internacional, que é responsável pelo patrulhamento de Cabul, a capital afegã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.