Turquia continua vulnerável a redução na liquidez global

A Turquia deve continuar sendo um dos países emergentes mais vulneráveis a uma redução na liquidez global, segundo um relatório divulgado pela agência de classificação de risco Standard & Poor''s. O déficit em conta corrente do país deve subir para 7,4% do PIB este ano, ante 6,2% em 2012. "Isso representa uma grande necessidade de financiamento externo e torna a Turquia vulnerável a qualquer reversão na atual política monetária global altamente acomodatícia", diz no relatório a analista Eileen Zhang.

AE, Agência Estado

23 de novembro de 2013 | 15h29

Segundo a análise da S&P, vários fatores serão essenciais para determinar o caminho de ajuste externo que a Turquia deve assumir nos próximos anos, como as fontes de financiamento do país e sua composição, a solidez do sistema bancário e as respostas das políticas monetária e fiscal. "Nosso cenário base prevê um aperto gradual nas condições globais de liquidez e, assim, um aumento moderado nas taxas de financiamento para a Turquia", diz o relatório. A agência afirma ainda que a demanda doméstica na Turquia deve se enfraquecer, mas a expansão das exportações pode ajudar o desempenho da economia.

Caso o cenário base não se concretize e a liquidez global diminua mais rapidamente do que o esperado, o financiamento externo pode se tornar muito mais caro para a Turquia, forçando ajustes mais abruptos na economia. "Embora não consideramos esse cenário alternativo muito provável, ele pode gerar riscos significativos para a estabilidade fiscal e financeira da Turquia e reduzir a flexibilidade das políticas econômicas". Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
TURQUIAECONOMIAS&P

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.