Turquia convoca reunião após invasão consular em Mosul

O primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, convocou uma reunião de emergência nesta quarta-feira depois de militantes do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL), grupo inspirado na Al-Qaeda, terem invadido o consulado turco na cidade iraquiana de Mosul e ter feito reféns diplomatas e funcionários que estavam no local.

Agência Estado

11 de junho de 2014 | 11h36

O consulado turco foi invadido pouco depois do horário do almoço por insurgentes sunitas, informaram funcionários do governo. Não estava claro quantas pessoas estavam dentro da instalação, mas devem ser por volta de dez, segundo uma das fontes. Um coronel da polícia havia relatado anteriormente que o chefe da missão diplomática e outros 24 funcionários haviam sido sequestrados. Autoridades turcas ainda não haviam conseguido entrar em contato com os reféns, relatou a primeira fonte.

Foram convocados para a reunião de emergência altos conselheiros de segurança nacional, dentre eles o chefe da espionagem, Hakan Fidan. Meios de comunicação turcos informaram que o ministro de Relações Exteriores Ahmet Davutoglu interrompeu uma viagem a Nova York e voltou para Ancara para o encontro.

"Há uma situação de emergência agora. O EIIL é uma organização preocupante e não podemos ter certeza sobre como estão tratando as pessoas e não sabemos o que esperar deles", disse um graduado funcionário do governo.

As informações foram divulgadas um dia depois de 28 motoristas de caminhão turcos terem sido sequestrados por militantes enquanto levavam cargas de óleo diesel do porto turco de Iskenderun, sul da Turquia, para uma usina de energia em Mosul. O ministro de Relações Exteriores Ahmet Davutoglu declarou na terça-feira que havia estabelecido contato com os motoristas e estava confiante a respeito de uma negociação para libertá-los em segurança. Fonte: Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.