AFP PHOTO / TIZIANA FABI
AFP PHOTO / TIZIANA FABI

Turquia critica papa Francisco por falar de genocídio armênio

Em nota, Ministério das Relações Exteriores turco disse 'vê com tristeza' o fato de a visita de Francisco 'não contribuir' para a paz no Cáucaso Sul e pede que papa 'mantenha atitude de mediador'

O Estado de S. Paulo

27 Junho 2016 | 10h15

ISTAMBUL - Com a utilização do termo "genocídio armênio" durante sua visita à Armênia na sexta-feira passada, o papa Francisco não ajuda o processo de paz no Cáucaso Sul, criticou nesta segunda-feira, 27, o Ministério das Relações Exteriores turco.

"Vemos com tristeza que a visita do papa à Armênia neste momento crítico não contribui em absoluto à paz e à estabilidade que o Cáucaso Sul necessita", afirmou o Ministério em comunicado, em relação aos últimos combates e negociações da Armênia e Azerbaijão pelo território de Nagorno-Karabakh.

No texto, o Ministério lamenta que Francisco "adere incondicional" à visão da Armênia que, assegura, "não corresponde nem à verdade histórica nem à legalidade". Desta maneira, o pontífice "volta a fazer discriminação com base na religião", assegurou a nota.

O texto da chancelaria turca conclui com o desejo de que o papa "mantenha uma atitude de mediador" com o "nobre princípio de deixar um futuro de amizade e paz às futuras gerações". / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.