Turquia detém dezenas de ex-funcionários da bolsa de valores de Istambul

Segundo o governo, os detidos estariam ligados ao clérigo Fethullah Gülen

O Estado de S.Paulo

12 Maio 2017 | 03h24

ISTAMBUL - A polícia turca deteve 53 ex-funcionários da bolsa de valores de Istambul nesta sexta-feira, 12, por supostas ligações com o clérigo exilado nos Estados Unidos Fethullah Gülen, acusado de orquestrar em julho um golpe de estado, informou o jornal Haberturk.

Desde o golpe frustrado, a política de repressão do presidente Recep Tayyip Erdogan já resultou na detenção de mais de 50 mil pessoas e na demissão de mais de 150 mil servidores das Forças Armadas, da polícia e do funcionalismo público acusados de vínculo com organizações golpistas.

Jornalistas e veículos de imprensa também foram alvo da perseguição. Mais de 100 profissionais foram presos - mais de 40 no exercício da profissão. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
ISTAMBULForças Armadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.