Turquia deve ter projeto polêmico do WTC

As torres gêmeas do World Trade Center (WTC) em Nova York, um símbolo do poder americano, viraram pó após os atentados de 11 de setembro, mas a associação WTCA, com 306 centros empresariais em 91 países do mundo, promete revidar com novos empreendimentos.O terreno antes ocupado pelas torres, por enquanto, ficará vazio, como símbolo da cidade pós -11 de setembro. Paralelamente, no entanto, a WTCA se dedica a um empreendimento que não deixa de ser polêmico: um gigantesco centro empresarial de seis torres gêmeas, de 37 andares, cercadas por pavilhão de eventos, shopping e três torres hoteleiras numa área de 260 mil metros quadrados nas proximidades do aeroporto de Istambul, na Turquia. A cidade que tem como símbolo uma mesquita.Para quem acha estranho o empreendimento na Turquia e se surpreende com a sua maquete que ocupa boa parte do estande do WTCA no Marché International des Professionnels de L´Immobilier, o Mipim 2002, uma das maiores feiras do mercado imobiliário mundial, o coordenador de Relações Externas do WTC Istambul (Dünya Ticaret Merkezi), M. Emir Aksel, lembra que as seis torres consumiram investimento de US$ 300 milhões e começaram a ser erguidas há três anos. Hoje, totalmente prontas, apenas uma está ocupada, e a outras cinco estão sendo ofertadas para locação. No momento, diz Aksel, a WTCA procura, além de inquilinos, investidores para concluir o projeto hoteleiro e o shopping, orçados em US$ 200 milhões. Já outros US$ 180 milhões serão necessários para a construção do centro de exposições e congressos.Seu presidente, Guy Tozzoli, o homem responsável pelo projeto e design dessas duas torres gêmeas, está confiante até na indicação da associação este ano para o Prêmio Nobel da Paz. Ele alega que se tratava de centro empresarial com as portas apertas para negócios, abrigando pacificamente pessoas e negócios de todo o mundo, vítimas dos atentados terroristas. Para Tozzoli, , é preciso continuar apostando no futuro, "na construção civil e na paz." Perguntado sobre o que mudou nos projetos arquitetônicos com o atentado às torres gêmeas de Nova York, Tozzoli afirmou que, agora, "há uma preocupação muito maior com segurança, e os novos empreendimentos terão de levar isto em conta, apesar do aumento dos custos". No Brasil, a WTCA tem um empreendimento em São Paulo, na Marginal Pinheiros, na zona sul da capital. Tozzoli garantiu, porém, que as duas torres de Nova York, como os demais empreendimentos da WTCA, foram erguidas com a infra-estrutura mais moderna disponível na época.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.