Reuters
Reuters

Turquia diz que avião de guerra russo violou espaço aéreo do país

Segundo Ministério, governo enviou dois jatos para interceptar aeronave russa; presidente turco qualificou os ataques da Rússia à Síria como um ‘grave erro’

O Estado de S. Paulo

05 Outubro 2015 | 09h12

ISTAMBUL - Um avião de guerra russo violou o espaço aéreo da Turquia perto da fronteira com a Síria, levando o governo turco a enviar dois jatos F-16 para interceptá-lo e a convocar o embaixador de Moscou em protesto, informou nesta segunda-feira, 5, o Ministério das Relações Exteriores turco.

A Turquia, que possui o segundo maior Exército da Otan, disse que o jato russo entrou em seu espaço aéreo no sul da região de Hatay no sábado.

"O caça russo saiu do espaço aéreo turco para a Síria após ser interceptado por dois F-16 da Força Aérea turca, que estavam conduzindo patrulhas na região", informou o Ministério das Relações Exteriores em um comunicado.

O presidente Tayyip Erdogan criticou os ataques aéreos russos na Síria, iniciados na semana passada, e os qualificou como um "grave erro". Moscou diz que tem o objetivo de enfraquecer o Estado Islâmico, mas potências Ocidentais veem as ações como apoio ao presidente sírio, Bashar Assad.

"Assad cometeu terrorismo de Estado, e infelizmente percebe-se a Rússia e Irã defendendo-o", disse Erdogan no domingo, de acordo com o jornal Hurritet.

O primeiro-ministro da Turquia, Ahmet Davutoglu, disse hoje que Moscou descreveu a violação ao espaço aéreo turco como um “erro” e destacou que não acontecerá novamente. Ele ainda afirmou que a entrada da Rússia no conflito na Síria aumentou a crise.

Em entrevista ao canal HaberTurk TV, Davutoglu afirmou que as regras do acordo com a Turquia eram claras, independente de quem violasse o espaço aéreo. /REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Turquia Rússia Síria espaço aéreo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.