Reuters
Reuters

Turquia diz que começará grande luta contra o Estado Islâmico em breve

Segundo autoridades americanas, no último final de semana aconteceram as primeiras missões com drones armados fora do território turco

O Estado de S. Paulo

05 de agosto de 2015 | 10h14

(Atualizada às 17h) KUALA LUMPUR - Drones e aviões dos EUA começaram a chegar à base aérea de Incirlik, na Turquia, perto da fronteira com a Síria, para iniciar "em breve uma grande luta" contra militantes do Estado Islâmico, disse o ministro de Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, nesta quarta-feira, 5.

Autoridades americanas disseram que as primeiras missões com drones armados fora da Turquia começaram no último final de semana e que os militares estavam planejando inserir aeronaves tripuladas na operação. Até agora, nenhum dos drones havia realizado ataques aéreos.

Falando aos jornalistas em uma reunião em Kuala Lumpur, Cavusoglu disse que a batalha começaria em breve, mas não deu mais detalhes.

"Como parte do acordo alcançado com os EUA, temos feito grandes avanços no que se refere aos aspectos técnicos do uso de Incirlik e as aeronaves americanas começaram a chegar", disse uma autoridade à agência estatal de notícias Anadolu. "Em breve vamos começar juntos uma extensa batalha contra o Estado Islâmico", acrescentou.

O ministro de Relações Exteriores da Síria, Walid Muallem, afirmou, entretanto, que Damasco apoiaria os esforços contra o Estado Islâmico enquanto a luta for coordenada com o governo sírio.

Desde o mês passado, a Turquia tem realizado ataques aéreos contra o Estado Islâmico na Síria, e contra os curdos no Iraque. 

Os comentários vieram após relatos de que membros do exército sírio, que passaram por um programa de treinamento dos EUA para combater os militantes do Estado Islâmico, haviam sido capturados pela Frente Nusra, braço da Al-Qaeda na Síria. /ASSOCIATED PRESS

Tudo o que sabemos sobre:
TurquialutaEstado Islâmicodrones

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.