Turquia diz que Israel deveria ser barrado na ONU

O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, afirmou hoje que Israel deveria ser barrado das Nações Unidas enquanto ignorar os pedidos da entidade para interromper a ação militar na Faixa de Gaza. Erdogan fez as declarações durante visita do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, a Ancara para discutir o conflito. "Como tal país, que não implementa as resoluções do Conselho de Segurança da ONU, pode passar pelos portões da ONU?", questionou Erdogan. Os comentários refletem o crescente descontentamento da Turquia, país mais próximo de Israel no mundo muçulmano, com a operação israelense em Gaza. Erdogan acusou Israel de atacar civis sob pretexto de atingir o grupo militante islâmico Hamas, que controla Gaza. O presidente turco, Abdullah Gul, renovou hoje os pedidos por um imediato cessar-fogo. Gul também pediu que o presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, trabalhe por uma solução abrangente, duradoura e justa para a tensão entre israelenses e palestinos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.