Turquia e Armênia vão discutir reaproximação

Consultas internas devem ser finalizadas em 6 semanas; relação entre vizinhos é tensa há décadas.

BBC Brasil, BBC

31 de agosto de 2009 | 20h03

Os ministérios das Relações Exteriores da Turquia e da Armênia anunciaram, nesta segunda-feira, que iniciarão discussões internas para tentar normalizar as tensas relações entre os dois países.

"As consultas políticas vão ser finalizadas nas próximas seis semanas, depois os dois protocolos vão ser votados pelos Parlamentos", disse um comunicado conjunto dos ministérios dos dois países.

Sob mediação suíça, Turquia e Armênia concordaram, em março, em trabalhar em dois protocolos: um estabelecendo relações diplomáticas e outro sobre o desenvolvimento de vínculos bilaterais.

As discussões sobre a reaproximação diplomática entre os dois países ocorre cerca de 40 dias antes da visita do presidente da Armênia, Serge Sarkisian, à Turquia, agendada para 14 de outubro. Sarkisian deve assistir a uma partida de futebol eliminatória para a Copa do Mundo entre os dois países.

Tensão

Um dos principais pontos de tensão entre os dois países é a recusa turca de concordar com o termo "genocídio" para classificar a matança em massa de armênios durante a 1ª Guerra Mundial.

A Armênia se tornou uma república da antiga União Soviética em 1920 e manteve relações diplomáticas com a Turquia apenas como parte da URSS.

Desde sua independência, em 1991, o país exige que a Turquia reconheça o que diz ter sido um "genocídio".

Outro ponto conflitante é o apoio turco ao Azerbaijão em seu conflito armado com a Armênia sobre o disputado território de Nagorno-Karabakh. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
turquiageórgiagenocídio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.