Ozan Kose/AFP
Ozan Kose/AFP

Turquia enviará mil policiais para a fronteira para impedir volta de imigrantes da Europa

De acordo com o ministro do Interior da Turquia, Süleyman Soylu, europeus estariam mandando imigrantes de volta para a Turquia pela fronteira

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de março de 2020 | 08h49

A Turquia pretende montar uma operação com 1.000 policiais na fronteira com a Grécia para impedir que os imigrantes que cruzaram a fronteira sejam enviados de volta para o país. Pelo menos é o que afirmou o ministro do Interior turco, Süleyman Soylu, nesta quinta-feira, 5.

Soylu disse a repórteres que a Agência de Proteção de Fronteiras da União Europeia (Frontex) e a Grécia empurraram 4.900 imigrantes de volta à Turquia desde 1º de março. Cerca de 164 imigrantes ficaram feridos no processo, segundo Soylu.

O ministro também disse que as autoridades estão tentando impedir que os migrantes atravessem o Mar Egeu para evitar uma crise humanitária. Cerca de 140.000 pessoas cruzaram a fronteira da Turquia pela província de Edirne para a Europa desde sexta-feira.

Na semana passada, a Turquia anunciou que deixaria de impedir o fluxo de migrantes que queriam chegar à Europa. A decisão foi tomada depois que 36 soldados turcos foram mortos pelas forças do regime de Bashar Assad em Idlib, no noroeste da Síria. Os soldados turcos foram enviados para a região para proteger civis locais sob um acordo de 2018 com a Rússia, no qual atos de agressão são proibidos.

Grécia reforça fronteira

A resposta da Grécia aos imigrantes irregulares e requerentes de asilo tem sido dura. Relatos de agressões tem sido comuns e a polícia tem utilizado gás lacrimogêneo para controlar os confrontos. Pelo menos duas pessoas já teriam sido mortas pelas forças de segurança gregas.

No domingo, 1º, o governo grego pediu a ajuda da UE para proteger suas fronteiras e anunciou que havia parado de aceitar pedidos de asilo por um mês devido ao aumento da pressão migratória.

Como um país com fronteiras marítimas e terrestres compartilhadas com a Bulgária e a Grécia, a Turquia tem sido um ponto de trânsito essencial para imigrantes irregulares que desejam cruzar a Europa para começar uma nova vida. Fugindo da pobreza ou dos conflitos, milhares chegam à Turquia todos os anos para ter a chance de atravessar ilegalmente a Europa.

Os imigrantes ilegais seguem as rotas do Mar Egeu, Mediterrâneo e Mar Negro para acessar os países europeus. O Mar Egeu é o mais popular, pois é pontilhado com ilhas gregas nas proximidades das costas turcas. Antes de viajar para as costas do Egeu da Turquia, eles normalmente entram na Turquia a partir das fronteiras sul ou leste do país. /NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.