AP
AP

Turquia mantém bloqueio ao YouTube apesar de decisão da Justiça

Governo censura compartilhamento de vídeos para evitar divulgação de denúncias contra Erdogan

O Estado de S. Paulo,

10 de abril de 2014 | 08h40

ANCARA - Autoridades turcas têm desafiado uma decisão da Justiça que proíbe a censura ao YouTube no país. O site de compartilhamento de vídeos foi proibido no país pelo governo do primeiro-ministro Recep Erdogan em 27 de março, às vésperas de importantes eleições regionais.

O objetivo do governo, segundo analistas, era impedir a divulgação de vídeos com denúncias de corrupção contra Erdogan e colaboradores próximos. O premiê denuncia uma "campanha suja" para derrubá-lo.

Nesta quinta-feira, 10, a entidade regulatória das telecomunicações turcas , a BTK, confirmou que apesar de  decisões da Justiça determinando o fim da censura, manterá o YouTube bloqueado.

"A medida de bloqueio ao acesso ao site continua em vigor", informou a BTK em seu site. O Twitter também foi bloqueado, mas o Tribunal Supremo reverteu a decisão. A ação que determina a liberação do YouTube foi emitida por um tribunal regional de Ancara.  / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
TurquiaRecep Erdogan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.