Turquia mata 20 ao atacar supostos alvos curdos

A Força Aérea da Turquia atacou supostos alvos rebeldes curdos ao longo da fronteira com o Iraque, matando pelo menos 20 pessoas, muitas das quais, acredita-se, eram contrabandistas que foram confundidos com guerrilheiros.

AE, Agência Estado

29 de dezembro de 2011 | 11h42

O Exército turco confirmou a realização dos ataques na noite de quarta-feira, mas afirmou que seus jatos atingiram uma área do norte do Iraque que é frequentemente usada pelos rebeldes para entrar na Turquia e que a ação foi realizada depois que aviões teleguiados detectaram um grupo que se aproximava da fronteira turca.

Os militares disseram que uma investigação sobre o caso foi iniciada, mas não citaram a existência de mortos ou feridos. Segundo a agência de notícias turca Dogan, o ataque aconteceu perto da vila de Ortasu, na província de Sirnak, perto do Iraque, onde os rebeldes curdos mantém sua base, matando mais de 20 pessoas.

Segundo a agência de notícias, os ataques foram lançados depois que aviões teleguiados e câmeras sensíveis ao calor localizaram um "grande grupo" perto de Ortasu.

Na manhã desta quinta-feira, imagens fornecidas pela agência Dogan mostraram pessoas ao redor de dezenas de corpos que estavam enfileirados e enrolados em cobertores.

Os militares disseram que tropas de fronteiras foram colocadas em alerta após informações de inteligências indicarem que rebeldes curdos estavam preparando ataques em retaliação a uma série de ações militares recentes contra as guerrilhas.

Segundo o Exército, os aviões teleguiados detectaram um grupo que se aproximava da Turquia, aparentemente numa passagem montanhosa que os rebeldes usam para contrabandear armas para o território turco. Os militares afirmaram que os ataques ocorreram em áreas onde os rebeles mantêm suas bases, longe de assentamentos de civis. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Turquiaataques aéreosmortoscurdos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.