Turquia não vai aceitar novas condições de ingresso na UE

O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, prometeu nesta quarta-feira manter as reformas necessárias no país para entrar na União Européia, mas alertou que novas exigências não serão aceitas para que o ingresso de novos membros seja permitido."Nós não procuramos nada exclusivo no processe de entrada na União Européia, em troca, não queremos condições exclusivas para podermos entrar", afirmou Erdogan, em uma conferência em Istambul.Na terça-feira, a União Européia aconselhou a Turquia a fazer emendas no Código Penal e nas leis de liberdade de expressão, condição considerada essencial para as negociações de entrada do país no bloco.O relatório foi aprovado pelo comitê de Relações Exteriores no início de setembro, e debatido entre os 732 membros do Parlamento na terça-feira. O artigo 301 do Código Penal turco - que determina punições para quem insultar a República, governantes ou turcos - foi usado contra dezenas de jornalistas, editores e acadêmicos do país.O artigo é muito criticado pela União Européia, que afirmou que a posição da Turquia em questões como o fracasso em Ancara e pelo reconhecimento de Chipre e a entrada de aviões e navios no país também podem interferir no ingresso do país no bloco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.