Turquia ofereceu 'garantias' para Kadafi deixar a Líbia, diz Erdogan

Premiê turco afirma que ditador líbio 'não tem outra saída'; autoridades ainda não receberam resposta

estadão.com.br

10 de junho de 2011 | 17h36

ANCARA - O governo da Turquia ofereceu "garantias" ao ditador da Líbia, Muamar Kadafi, caso este aceite deixar seu país, que vivem uma guerra civil desde fevereiro, informa a agência de notícias AFP. O coronel, porém, ainda não respondeu à proposta, segundo o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan.

 

Veja também:

especialLinha do Tempo: 40 anos da ditadura na Líbia

especialInfográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

especialEspecial: Os quatro atos da crise na Líbia

 

"Kadafi não tem outra opção a não ser partir da Líbia, com alguma garantia que lhe será dada. E nós daremos essa garantia. Dissemos que o ajudaríamos e a ir aonde quisesse", disse Erdogan ao canal NTV, sem especificar a quais seriam as tais garantia oferecidas ao líder líbio. "Dependendo da resposta que nos der, acionaremos nossos aliados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Mas infelizmente, ainda não respondeu", completou.

 

Kadafi enfrenta uma revolta popular para derrubá-lo há quatro meses. O ditador luta contra os rebeldes de seu próprio país e ainda sofre com os ataques da Otan contra suas tropas e suas instalações militares. Segundo o Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), entre 10 mil e 15 mil pessoas já morreram nos conflitos do país norte-africano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.