Turquia ordena prisão de gangue que planejava matar Bush

Uma corte turca ordenou a prisão de militantes islâmicos que fizeram parte de uma gangue armada que planejava matar o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, durante um encontro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em 2004. A condenação, proferida nesta sexta-feira, foi divulgada pela agência de notícias Dogan News.A sentença aos sete criminosos, todos homens, foi proferida por eles pertencerem ao grupo radical Ansar al-Islam, suspeito de ter ligações com a Al-Qaeda, e não especificamente por conspirar para assassinar Bush.A gangue foi capturada depois que a polícia da cidade de Bursa, no leste da Turquia, apoiada por agentes da inteligência, lançou uma operação contra o grupo em abril de 2004, antes do encontro da Otan, sediado em Istambul em junho daquele ano.Em buscas nas casas e escritórios dos militantes, a polícia encontrou explosivos e outros materiais utilizados na construção de bombas, além de pistolas e rifles. Durante o interrogatório, os homens admitiram que pretendiam realizar um atentado suicida contra Bush.Alpaslan Toprak foi sentenciado a 12 anos e meio de prisão por ser um líder de uma gangue armada, enquanto outros seis militantes terão de cumprir seis anos e três meses de prisão por associação ao grupo. Outros 13 militantes foram absolvidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.