Turquia permite que curdos do Iraque entrem em Kobani

O ministro de Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, afirmou nesta segunda-feira que o país permitirá a passagem de curdos vindos do Iraque para que possam reforçar o combate ao grupo Estado Islâmico na cidade síria de Kobani.

Estadão Conteúdo

20 de outubro de 2014 | 10h54

"O governo regional curdo do Iraque anunciou que está em cooperação com a Turquia e os Estados Unidos", disse Cavusoglu. "Na verdade, estamos auxiliando forças curdas a entrar em Kobani para prestar socorro".

O anúncio foi feito em uma coletiva de imprensa após o Exército norte-americano confirmar que entregou armas, munição e medicamentos aos combatentes curdos em Kobani na noite do domingo. O material foi lançado na cidade por meio de aviões utilizados nos bombardeios ao Estado Islâmico na Síria.

A ação dos norte-americanos ocorreu apesar de Ancara afirmar que é contrária à transferência de armas aos rebeldes curdos no país vizinho. A Turquia considera os militantes uma extensão do grupo conhecido como PKK, que liderou uma insurgência de 30 anos no país e é classificado como terrorista pelos Estados Unidos. A decisão de permitir o acesso de curdos do Iraque ao seu território, no entanto, pode sinalizar que a Turquia está adotando uma posição mais branda para ajudar os membros da etnia na Síria.

Nos últimos dias, os ataques da coalizão liderada pelos norte-americanos foram focados nos arredores de Kobani, cidade que os extremistas islâmicos tentam conquistar desde o mês passado. O conflito já levou cerca de 200 mil sírios a fugir pela fronteira para a Turquia. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.